Renata Gonçalves Gomes resenha o documentário de Rodrigo Lopes de Barros sobre Ricardo Chacal (Brasil)

Chacal, Cinema, Crítica, Filmes, Literatura, Reblogging, Resenha

el roommate: colectivo de lectores

Ricardo Chacal, o poeta marginal em Harvard

Resenha do curta-metragem Chacal: Proibido fazer poesia. Direção de Rodrigo Lopes de Barros, Co-Produção Guilherme Trielli Ribeiro, 2015, 24:13 min.

O curta-metragem de Rodrigo Lopes de Barros tem como principal objetivo acompanhar a semana em que o poeta Ricardo Chacal passou em abril de 2014 nos Estados Unidos. Além de diretor de cinema, Rodrigo é professor da Boston University e trabalha com literatura brasileira e latino-americana. Juntou, portanto, esses dois ofícios à familiaridade com a vida acadêmica da costa Leste dos Estados Unidos e realizou Proibido fazer poesia, que se mostra inovador tanto para aqueles que conhecem Chacal quanto para aqueles que querem conhecer a poética dele. Para esta mesma semana, em abril de 2014, Chacal foi convidado para a 12th Brazil Week at Harvard, na Universidade de Harvard, para fazer performances, ministrar uma oficina de poesia e dialogar com…

Ver o post original 1.465 mais palavras

Anúncios

Chacal: poesia e contracultura

Chacal, Cinema, Crítica, Ensaio, Filmes, Literatura, Reblogging, Resenha

Graúna

Por Kleber Amancio

Trailer do filme

O documentário Chacal: Proibido fazer poesia é um curta que se propõe a narrar a estadia de Ricardo Chacal junto à Universidade de Harvard, nos EUA. O filme foi rodado em abril de 2014, na ocasião em que o poeta marginal foi convidado pelo Department of Romance Languages and Literatures a fazer parte de um evento: a Brazilian Week, organizado pelos professores e alunos do Departamento, dentre eles o saudoso Prof. Dr. Nicolau Sevcenko.

O filme, que conta com direção de Rodrigo Lopes de Barros, pretende-se uma obra colaborativa entre os realizadores e o artista; mais do que um mero diário da passagem de Chacal por Harvard (como pode parecer num primeiro momento), a fita documenta suas performances, explora suas memórias; de suas obras, da cena política e do contexto artístico em que começou a produzir. Colaborar talvez seja o termo mais acertado para definir a função da direção.

Logo…

Ver o post original 423 mais palavras