Documentário Contracena com a Poesia Pós-Hippie e Protopunk de Chacal [Press Release]

Chacal, Release

Filme segue a visita do poeta marginal à Universidade Harvard em abril de 2014

 

Chacal: Proibido Fazer Poesia (2015, direção de Rodrigo Lopes de Barros e coprodução de Guilherme Trielli Ribeiro) é uma transcriação alegórica das memórias e da interpretação da cultura brasileira que o poeta Chacal realizou na Universidade Harvard, em abril de 2014. O filme oferece uma revisão de poemas, apresentações, performances, oficinas, conversas e vivências, que tiveram lugar durante sua passagem pelo renomado estabelecimento de ensino estadunidense.

O documentário se funda no intercâmbio entre seus realizadores e o poeta que então dedicou-se à reflexão sobre seu próprio itinerário artístico, desde sua estreia no livro mimeografado Muito prazer, Ricardo (1971) aos dias de hoje – passando pela icônica reunião de sua poesia em Belvedere (2007) e pela publicação da autobiografia e testemunho cultural Uma história à margem (2010). Abrange, portanto, nada menos do que quatro décadas e meia de poesia, cujas tensões emanam tanto de um minucioso trabalho com a linguagem poética quanto de uma observação atenta da experiência histórica brasileira e Ocidental.

Realizado parcialmente em Super 8, o filme mira no intuito de conferir às imagens a alta-tensão do diálogo entre a câmera e as letras e vocais elétrikos de Chacal – que se proclama a reencarnação psicodélica de Oswald de Andrade –, cujos poemas contraculturais arrojados, crivados de beats e ritmos da Tropicália, de lúcida emoção e ironia ácida, discutem, antropofagicamente, o seu desafio estético e político: “todo poeta é um traficante de armas”.

 

Ficha Técnica  

Título: Chacal: Proibido Fazer Poesia
Ano: 2015
Direção: Rodrigo Lopes de Barros 
Produção e Roteiro: Guilherme Trielli Ribeiro e Rodrigo Lopes de Barros
Duração: 25 min.

Ricardo de Carvalho Duarte (Chacal) é poeta, escritor, performer e produtor cultural. Em mais de 40 anos de carreira, participou de oito antologias e teve 14 livros publicados, tendo sido premiado em 2008 por sua poesia reunida: Belvedere (Cosacnaify & 7 Letras). Como produtor cultural e performer, idealiza, dirige e se apresenta em diversos eventos no Brasil e no exterior. Há 25 anos é o diretor artístico do Centro de Experimentação Poética, o CEP 20.000.

Rodrigo Lopes de Barros é professor de literatura latino-americana na Universidade de Boston, EUA. Foi professor visitante de literatura brasileira em Harvard. Dirigiu o curta-metragem “O Corpo” (2012), seleção oficial no Festival de Cinema de Oaxaca e vencedor do prêmio de melhor curta-metragem estrangeiro no Festival de Cinema Underground de Las Vegas (PollyGrind).

Guilherme Trielli Ribeiro é professor de literatura brasileira e artes comparadas. Atualmente ensina Português como Língua Estrangeira na Michigan State University.

Anúncios