Ruinologias: Ensaios sobre destroços do presente

Crítica, Literatura, Livros, Release

É com satisfação que se anuncia o lançamento do livro:

“Ruinologias: Ensaios sobre destroços do presente”. Org. Ana Luiza Andrade, Rodrigo Lopes de Barros e Carlos Eduardo Schmidt Capela. Florianópolis: EdUFSC, 2016, 422p.

Aqui o texto da quarta capa e o sumário do livro:

Link para compra:
http://www.livroselivros.com.br/catalogo/produto/215376/RUINOLOGIAS-ENSAIOS-SOBRE-DESTROCOS-DO-PRESENTE

Texto da Quarta Capa
O livro reúne ensaios que, através de arquiteturas e arquitexturas (textos, imagens, filmes, esculturas e instalações), atualizam uma ampla discussão em que a melancolia de encontrar no presente os destroços do passado constitui uma das matrizes principais. Admirar as ruínas, pensá-las, e através do encanto que delas emana colocar em questão a própria condição humana e a da natureza, é perceber nelas o que vibra entre construção e desconstrução, entre a atividade de levar uma obra a cabo e a passividade de ter de lidar com a fatalidade de que ela será acabada pela própria força do tempo, das destemperanças e das intempéries. Tal é, em poucas palavras, um dos traços que se desprendem da poética do arruinamento que “Ruinologias: ensaios sobre os destroços do presente” dispõe aos leitores.

Sumário:
Siesta em Xbalba E de volta para os Estados Unidos (Fragmentos)
Allen Ginsberg (Tradução de Ibriela Bianca Berlanda Sevilla)

Apresentação

Tugurizando I: As ruinas (Fragmentos)
Conde de Volney (Tradução de Pedro Cyriaco da Silva)

1. Ubi sunt? As ruinas do Oriente Médio nas crônicas dos viajantes espanhóis do século XIX
Lily Litvak (Tradução de Diego Cervelin)

2. Do matadouro ao monumento: as mutações das ruínas da cidade de Santo Domingo
Médar Serrata  (Tradução de Diego Cervelin/Carlos Eduardo Schmidt Capela )

3. Nas ruínas de Detroit
José Antonio González Alacantud (Tradução de Diego Cervelin)

Tugurizando II: A ruína
Georg Simmel (Tradução de Antonio Carlos Santos)

4. Leonilson: lugar do corpo, do nome
Júlia Studart

5. Zweig: a ruína, o arquivo, e o fantasma
Maria Augusta Vilalba Nunes

6. A psicose do maravilhoso: da Ilha Brasil às ruínas de Francisco Brennand
Rodrigo Lopes de Barros

Tugurizando III: Uma arte de fazer ruínas
Antonio José Ponte (Tradução de Diego Cervelin)

7. Introdução à fisiognomia de ruínas
Vladisláv Tódorov  (Tradução de Adriana Varandas)

8. A fala que antecede a queda. A museificação de Havana por Antonio José Ponte
Rafaela Scardino

9. Os tugures e a memória: uma construção em ruínas
Djúlia Justen

Tugurizando IV: Uma metáfora da esperança: as ruínas
María Zambrano (Tradução de Rodrigo Lopes de Barros)

10. Ruínas do arcaico: o primitivo na poesia de João Cabral e Murilo Mendes. A poesia e a política
Susana Scramim

11. Limites do indecidível: ruínas da linguagem em Giorgio Caproni
Patrícia Peterle

12. A morte em Veneza: ruinologias de um mundo decadente
Helano Jader Ribeiro Cavalcante

Tugurizando V: Entre as ruínas
Euclides da Cunha

13. Euclides e a escritura em ruínas
Carlos Eduardo Schmidt Capela

14. Ruínas pobres, cidades mortas
Denilson Lopes

15. A modernidade de uma linguagem em ruínas: contra-arquiteturas
Ana Luiza Andrade

Tugurizando VI: Fragmentos sobre a psicologia do inseto
Jean-Henri Fabre (Tradução de Maria Luiza Belloni)

 

Anúncios